quinta-feira, 23 de março de 2017

quarta-feira, 22 de março de 2017

Zelon & Zada: Coisas "velhas" ou renovadas?

22.3.17

São filhos do mesmo projecto e nenhum deles está para venda. Tenham paciéncia. O Zelon aZtronauta foi inspirado por alguém e terá de ir breve para casa e estará mais ou menos disponivel mais tarde (num projeto especial) e a Zada dos dentes foi feita como protótipo e as suas irmãs estarão em breve disponíveis para quem quiser. Tem um bolso de ganga para guardar os dentes, e asas em batik, e esta foi feita com umas calças da Alice, a minha filha que está a perder os dentes e precisa dela.
São a prova de que com amor e carinho podemos fazer das coisas que uns não querem ou precisam, algo que pode ainda guardar muitas memórias no futuro.

terça-feira, 21 de março de 2017

Meet Zelon, the aZtronaut

21.3.17

O prazer que eu tive a fazer este pequeno ser. Foi feito para alguem bem crescido, logo também me passou muitas vezes pela cabeça que achasse um perfeito disparate. 
Fazer bonecos remete-nos para a infância, e a primeira boneca que eu foz tinha 12 anos. Sempre gostei e ainda gosto destas pequenas criaturas que nos olham do fundo do nosso ser, porque é impossível não lhe dar uma especie de alma, personalidade. Não tem boca, de proposito. Assim pode rir ou chorar, e, o que mais gosto nele, este pequeno astronauta, é que, não só o adulto para quem o fiz parece ter gostado, mas, foi maravilhoso ver a quantidade de likes que teve no facebook quando o mostrei ainda inacabado, ontém à noite. 
Faz pensar que enquanto os adultos ainda gostarem destas coisas, há ziguezagues a bater forte neste mundo.
Nothing makes me happier.



terça-feira, 14 de março de 2017

She

14.3.17

Das coisas que ela sempre gostou desde que saiu cá para fora, as minhas camisolas de renda. Mal se senta ao meu colo é isso que procura, e quando brinca, às crescidas, é isso que veste. 
Olha mãe, o rosa é o meu vestido, estou vestida como tu, ah, a cinzenta é tipo uma super capa.
Afinal, sempre sou super.
(#asduasafazerdeconta)

segunda-feira, 13 de março de 2017

Dos panos e "peles" e das pessoas.

13.3.17


Dos panos, já sabem o que penso.
Das pessoas, das que me "seguem" e confiam, não sei o que dizer. 
Alguns destes foram emprestados por amigos, mas de alguém que nem conheço pessoalmente, e so porque pedi no facebook, ter confiado ao ponto de me entregar os panos assim no meio da rua, e ter dito apenas "depois falamos", o que se diz? 
Às vezes há pessoas que nos dão esperança, de que afinal, os humanos ainda o são.
No final deste projecto parece-me que a lista de agradecimentos vai ser longa.
Agora se eu fujo com os batiks? Hmmm?

sexta-feira, 10 de março de 2017

Sair do armário

10.3.17

Aquelas coisas que estão ali penduradas ha anos, e pensas, ah, não posso deitar isto fora.
De repente tens uma ânsia de atacar o armário com a tesoura na mão. 
Qualquer dia alguém vai ter de me segurar, mas enquanto não conseguirem, deixo a inspiração tomar conta de mim.
There's hope for me, as long as batik exists.

terça-feira, 7 de março de 2017

Vícios tramados

7.3.17

Para além do café, acho que o meu outro vicio é o trabalho. Claro que o meu trabalho inclui uma data de coisas e parece que cada vez tenho outras. 
Andava meio bloqueada, mas agora que passou, cuidado comigo e com a minha tesoura. Ja olho para as pessoas a pensar o que vou fazer com a roupa delas.
Estas calças novas da Alice eram antes uma camisola do Paolo. E não, não as roubei...,mas agora que vi que ficam giras, ele bem pode agradecer eu nunca chegar ao estendal do segundo andar.