quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Do verbo INSPIRAR.

22.9.16

E onde se inspira?  Perguntaram-me ontem numa pequena entrevista. 
Nas pessoas. 
Em pequenos nadas que anoto no meu caderno. 
Em coisas que foram de alguém.  
Em tudo e em nada.
Nalguns dias não consigo. Sento-me e tiro fotos de coisas que amo e recomeço.
#reuz #egg #breathe #newbalance #mosaicohidraulico #cerâmica #z #someonesgeandfathersokdpants #batik

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Can you breathe and think of nothing?

13.9.16

Não sei porque o Francisco faz ovos na roda. Mas seja lá porque for, porque eu mal conheço o Francisco, obrigada! 
O Romeu deu-me isto ontém, e literalmente fiquei muda. É "só" um obejecto em cerâmica, "talvez" mas transmitiu-me uma estranha sensação de paz. Como se fosse algo que eu precisasse. 
Já no atelier, pousei-o ovo frente à janela, e fiquei a admirar o meu querido presente inesperado. 
Ando há semanas a tentar meditar, mas sem fazer nada, sem pensar em nada, não consigo. 
Não conseguia, porque ao olhar assim para esta tranquilidade branca e serena, quando dei por mim, tinha conseguido. Tudo isto para agradecer ao Romeu, mas também para que o Francisco entenda o que as mãos dele conseguem transmitir. 
Talvez já soubesse. 
Talvez eu nem consiga transmitir na totalidade tudo o que senti.

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Do verbo começar...

2.9.16

Não há nada mais assutador e aliciante que um novo projecto. Na realidade já tenho quase duas peças prontas para o Romeu, e agora estou a escolher lãs para o Marco. Desta vez vou fazer um registo mais visual, para que a inspiração seja mais fácil. 
Um passo de cada vez.
Não posso demorar.
Estás curioso/a?

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

"É preciso muito caos interior para parir uma estrela que dança" - Nietzsche

1.9.16

Ás vezes tento explicar os altos e baixo dos meus dias, num mesmo dia, estar no pico, descer, depois subir. Uma catadupa de emoções que nada tem a ver com o trabalho mas depois se traduzem em pontos, entrelaçados. Depois alguem que me entende manda-me um email com uma mensagem tão bonita:

Querida Zélia 

A propósito do teu post de dia 28 Agosto das 11:11am sobre excessos, hoje lembrei-me de uma frase de Nietzsche que vi no metro do Parque em Lisboa:

"É preciso muito caos interior para parir uma estrela que dança"

Nota: Curiosamente não tinha uma foto sobre o caos, mas esta pareceu-me que cabia e é o que estou atrabalhar  agora. Não sendo uma estrela que dança, algo demasiado bonito para uma Zelia qualquer parir, é o meu trabalho, e resulta do meu caos. 

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Do verbo Registar

29.8.16

Sempre adorei cadernos, e ao longo dos anos, tenho comprado muitos. Confesso que não sou organizada. Com o tempo, deixo de usar, ficam a meio, sei lá o que é.
No entanto, continuo a não resistir.
No natal do ano passado recebi este, de um amigo querido, e acho que já disse aqui o quanto adorei. Hoje recebi tambem estes postais da Inês. Sao tão bonitos quanto inspiradores. E, fico mesmo feliz quando olho para o meu caderno, que certamente me influencia de alguma forma muito boa, porque é a primeira vez que este registo perdura, que recorto e colo pequenas lembranças, fotografias, resgisto datas, sorrisos, visitas, afazeres e ideias. Vamos em agosto, as páginas passam, espero ter um caderno tão inspirador para o próximo ano, este está a ficar gordinho de lembranças. A primeira vez que levo a sério este verbo, registar.

domingo, 28 de agosto de 2016

Meditar

28.8.16
Ando há semanas a tentar "respirar sem pensar em mais nada" e não é pêra doce. Parece uma coisa tão facil. Inspira, expira, encomendas, tempo, emails or responder, parar. Inspira, expira. Tecidos e lãs, facturas, perguntas por responder de clientes, falhaste aquele almoço com aquela amiga. Pára. Recomeça. 
Para alguém que acha que tem de conseguir fazer tudo, conseguir fazer nada é algo que eu perdi no momento em que decidi que criar seria a minha vida. 
Não fazer nada, não pensar em nada. respirar. 
E então, como não consigo isso, e inevitável refugiar-me na minha zona de conforto. Embora na realidade fique furiosa. furiosa o suficiente para agarrar nas agulhas de fibra de carbono de 2mm e tricotar o tal par de meias. tic.tic.tic.tic. E respirar. Respirar e tic.tic.tic., e respirar. E penso muito quando faço tricot, inevitavelmente. Respiro tricoto e penso. 
Estas meias por exemplo, tem dois objectivos, um é uma espécie de trabalho, ou seja, serão a primeira peça do meu novo projecto, mas serão tambem oferecidas, o que sendo um projecto que terá de ser explicado no final, teriam so por isso uma especie de carga. E confesso que já ri, ja me irritei, e já sei, que já devia ter posto isto do esquema tudo por escrito. Mas, quando me sento, e respiro e tic.tic.tic e penso, e me irrito ou sorrio a pensar no rosto feliz quando essa pessoa calçar as meias, ou quando as pessoas aparecerem com meias iguais a esta, e respiro e tic.tic.tic dou por mim de repente a ausentar-me deste mundo, e a ficar tranquila. 
Ao acordar do não pensar em nada apercebo-me que o tic.tic.tic é o meu meditar.
Não é de todo bom este pensamento. Estou certa que mais cedo ou mais tarde vou ter de arranjar algo que não esteja tão entrançado com o meu trabalho, mas, os entrançados são bonitos, nas meias estão a ficar tão bem, e nas pessoas, ou em mim, bonitos ou não, serão o que forem. 
Hoje li algo que sabia mas em que nunca penso, mas que consigo reverter quando me olho no espelho. São nos dias mais entrançados de pensamentos e desespero que eu consigo fazer as coisas mais bonitas. 
Nas voltas que a vida da, nas viravoltas que a Zé dá, Volta não volta, vou na volta 139, repirar, tic.tic.tic .

Da amizade e de como as ideias começam. Re-uZ.

28.8.16

Começou por me encomendar uma carteira, tive de fazer 3 para acertar. Depois tive de remendar umas calças, ás quais chamei muitos nomes feios até que finalmente lhes coloquei uma etiqueta com uma "marca" que ele ajudou a desenvolver. As vezes, posto uma foto de um BIGbag e ele da foto consegue perceber uma falha e avisa-me. Não tenho como agradecer a inspiração para este projecto que ocupa os meus dias. A Re-uZ. Nunca vou conseguir agradecer. 
Ainda não era Primavera fiz-lhe esta gola, mas na realidade foi ele que a idealizou. E já está a ajudar-me a escolher fios e cores para o meu projecto no masculino. Porque francamente, não é fácil para mim essa tarefa para "eles". Esta semana ja entreguei uma destas ardósias a um amigo. Mas na semana passada foi o Romeu que ganhou a dele. Foi um riso tirar as fotos. E difícil escolher. Ainda esta semana entrego a terceira ardósia da Susana. O trabalho dela faz pessoas felizes e isso é tão bom partilhar como mensagens as pessoas que fazem deste mundo um lugar bom. Thanks Romeu you Rock. Ainda bem que não sabes costurar. I'd be out of business.